quinta-feira, 3 de julho de 2008

Coleta de Sangue pare Exames









O sangue é a porção líquida do meio interno que circula rapidamente dentro de um sistema fechado de vasos denominado sistema circulatório. É constituído por um fluido no qual existem células em suspensão, moléculas e íons dissolvidos em água.

Composição:

O sangue é constituído de duas frações combinadas, na proporção de 55% de plasma e 45% de células.
Plasma: contém 91,5% de água que serve de solvente das substâncias orgânicas e minerais e ainda de veículo para as células, moléculas e íons.
Porção celular: glóbulos vermelhos (hemácias, hemátias, ou eritrócitos), glóbulos brancos (leucócitos), plaquetas ou trombócitos.
Formação do sangue: o plasma é formado a partir da ingestão de água, alimentos e da difusão e trocas líquidas entre os vários componentes do organismo. As substancias orgânicas resultam da digestão dos alimentos. A parte celular tem origem múltipla. As hemácias, plaquetas e leucócitos granulócitos são originários da medula óssea, enquanto que os linfócitos e monócitos têm origem no sistema retículo-endotelial (linfonodo e baço), que atuam também como órgãos hemocateréticos.
Funções: o sangue é um meio de transporte que realiza as trocas de substâncias entre os diversos sistemas do organismo. Suas principais funções são: respiração, nutrição, excreção, correlação humoral, regulação do balanço hídrico, regulação do equilíbrio iônico e ácido-básico, regulação térmica, imunidade, regulação da pressão sanguínea, hemostasia.
O sangue é amostra de exames rotineiros

Sangue venoso

É conseguido pela punção venosa que fornece quantidade apreciável de sangue usado nos exames hematológicos e bioquímicos.
Locais de punção: fossa cúbita (dobra do cotovelo), dorso da mão, jugular externa, dorso do pé.

Material utilizado na coleta do sangue venoso:

- Seringas descartáveis de 5, 10 ou 20 ml;
- Agulhas descartáveis: 25x7 ou 25x8(calibre usual);
- Tubos de plástico cônicos graduados
- Frascos de penicilina;
- Solução anti-séptica (álcool a 70%);
- Garrote;
- Anticoagulantes (heparina, citrato de sódio...)
- Algodão, esparadrapo ou curativos especiais.

Procedimento:

Preparar a seringa e a agulha, garrotear 5 cm acima do local de coleta, pedir ao paciente para fechar a mão. Escolher a veia mais proeminente apalpando-a (mediana, basílica, cefálica). Fazer a assepsia, esperar secar, fixar a veia (distendendo a pele do paciente). Introduzir a agulha de uma só vez atingindo o interior da veia. Pedir a paciente para abrir a mão e colher o volume desejado. Soltar o garrote e só depois retirar a agulha. Faça compressão com o algodão. Distribuir o sangue nos frascos adequados. Desprezar o material adequadamente.

Sangue arterial:

Indicação absoluta: quando se trata de gasometria arterial.
Eventualidades: recém-nascidos, pressão muito baixa, choque.
Locais de punção: artéria radial, artéria femoral, artéria braquial.

Procedimento:


Fazer a assepsia. Preparar o material. Para a punção arterial não se deve garrotear. Na gasometria oi sangue não pode ser retirado da seringa.
Observação: ao término da punção arterial o local deve ser fortemente comprimido durante, no mínimo, 10 minutos para evitar os hematomas graves.

Sangue capilar: é conseguido pela punção do calcanhar, nas crianças e do lóbulo da orelha na polpa digital, no adulto. Não fornece um volume muito grande de sangue.
Indicações: demonstração de técnicas para tipagem sanguínea, exame do pezinho, exame de glicemia.
Locais de punção: face palmar dos dedos (4º dedo) da mão, margem livre do lóbulo da orelha, calcanhar.
Procedimento: aquecer o local se estiver frio, fazer assepsia. Perfurar com uma agulha os locais indicados. Deve-se desprezar a primeira gota. Ao término da coleta, limpar o local e colocar o curativo.

Complicações decorrentes das punções

- Hematomas: pode ocorrer se o profissional tirar a agulha antes do garrote, transfixar a veia ou, em punção arterial, não for comprimido adequadamente o local;
- Alergia: ao álcool iodado (deve-se perguntar antes);
- Contaminações: devido à assepsia mal feita ou ao uso de material não-descartável (estéril) contaminado.

3 comentários:

Nossa história disse...

Olá, achei o seu tópico muito interessante, no entanto nao ficou claro onde fica a veia no dorso do pé.

Se puder me explicar eu agradeço.

andre disse...

obrigado pelas dicas........

Jessica disse...

EU gostei muito desse tópico não tenho muito coisa a dizer adorei muito obrigada pela dica.....

25 de junho de 2012 18:21